Como a indústria usa a inteligência competitiva do e-commerce nas estratégias de trade marketing?

79% dos brasileiros são influenciados pelo digital para fazer compras. Por outro lado, em 5 anos as visitas na loja física caíram 60%, o que indica que a influência digital está aumentando!

Ricardo Totola, Gerente de Trade Marketing Online da Lenovo falou um pouco sobre como a indústria está usando a inteligência competitiva do e-commerce em suas estratégias de trade marketing. Totola explica que o trade marketing surgiu para atender a demanda do varejo offline. “A indústria alimentícia foi a pioneira e a indústria farmacêutica aperfeiçoou a técnica”, relembra. Com a aproximação da indústria com o e-commerce Totola ressalta a necessidade de as duas operações estarem muito bem alinhadas. “No fim precisamos atingir os resultados juntos. A negociação comercial com os revendedores acontece junto com o nosso trabalho”, disse.

Veja cinco pilares que sustentam as conversões no Trade Marketing:

1. O tamanho do e-commerce.

O e-commerce está em franco crescimento e vai dobrar a participação no varejo nos próximos anos. Alguns fatores que vão ajudar nesse crescimento e que são importantes quando você está posicionando o seu produto são:

Os novos e-shoppers: influenciados por uma maior confiança do consumidor e possível volta do consumo das famílias);
A volta de categorias do e-commerce: como smartphones e eletrodomésticos;
Consumidores mais maduros: diminuição da participação de light users com menor experiência em compras online;
Ascensão dos marketplaces: mais diversidade de itens e revendedores com relação ao custo-benefício mais vantajosa para ambos;
Mais consumidores ativos: aumento no número de pessoas fazendo sua primeira compra online, principalmente nas datas sazonais;

2. O consumidor mudou, o comportamento mudou.

O conteúdo precisa ser bom e acessível, mesmo que a conversão não aconteça naquele momento ele vai maturar a compra. Não é a toa que 40% dos consumidores usam a internet apenas para a pesquisa de pré-compra. Até 2021 o grupo de maior crescimento serão os buyers (aqueles que compram regularmente online).

3. Sou considerado, logo existo.

50% dos consumidores consideram até 2 marcas somente antes de comprar. Que tipos de ferramenta você deve usar e como usar o e-commerce para gerar compras para a sua marca? Como fazer com que os seus produtos fantásticos aparecerem para o consumidor?

4. Quem faz a cabeça, faz resultados (branding + conteúdo).

35% da verba investida no digital é para branding no varejo norte-americano. Essa relevância muda de acordo com a categoria do seu produto. No caso dos tablets, por exemplo, 55% das pessoas consideram a marca antes da compra, no caso das impressoras multifuncionais essa relevância é de 66%.

5. Coop is the new black.

No caso dos laptops, 80% das pessoas procuram pelos produtos nos buscadores, 50% pesquisam online direto no site dos varejistas, 23% procuram em sites das marcas, 19% em comparadores de preço e 14% em vídeos online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *